Todo o trabalho partilhado neste blogue pode ser visionado, consultado e utilizado, mas, por favor, não apague os créditos de um trabalho que é meu. E não plagie. O plágio é uma prática muito feia. Se entender contactar-me o meu e-mail é anabelapmatias@gmail.com
Agradeço aos autores dos vídeos a sua partilha, generosa, no Youtube. Sem esta partilha, as minhas postagens ficariam mais pobres.

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Happy New Year

Happy New Year

É o que desejo a todos quantos por aqui passarem - alunos, ex-alunos, familiares, amigos... gente conhecida e desconhecida...


10ª Aula - O Renascimento

10ª Aula - O Renascimento

Sumário: O Renascimento e a formação da mentalidade moderna. A invenção da imprensa e a difusão do Renascimento.

O termo "renascimento" significa voltar a nascer e é empregue para a história da Europa de finais do século XIV a finais do século XVI, período a que se assistiu a um renascer da cultura clássica, grega e romana. Durante este período o homem descobre-se e ganha confiança em si próprio - individualismo -, valoriza-se - humanismo - descobre o mundo que o rodeia e coloca-se no centro das suas preocupações - antropocentrismo - que substitui uma visão em que Deus assume o papel preponderante, Deus é o centro das preocupações do homem e tudo explica - teocentrismo.
O Renascimento tem o seu início em Florença, Itália, o que se explica por uma série de razões: por um lado, a existência de inúmeros vestígios das culturas clássicas greco-romana por toda a península Itálica, por outro lado as cidades-estado, muitos ricas e poderosas, rivalizavam entre si no sentido de se embelezarem e engrandecerem através das obras dos melhores artistas, o que foi muito feito através da política de mecenato praticada por famílias importantíssimas como os Médicis em Florença, os Sforza em Milão e os papas Júlio II e Leão X em Roma que financiaram as produções artísticas e os artistas deste período. De Itália - Florença, Génova, Roma, Milão e Roma - expandiu-se para a Flandres, França, Inglaterra, Espanha, Portugal. A sua rápida propagação ficou a dever-se ao surgimento da imprensa, em meados do século XV, inventada por Gutemberg, mas também devido ao papel desempenhado por escolas e universidades na divulgação dos novos valores e mentalidade e também devido às viagens e à troca de correspondência entre os humanistas do Renascimento.
O Renascimento refletiu-se na mentalidade, na literatura, na arquitetura, na pintura, na escultura e várias ciências desenvolveram-se muitíssimo como foi o caso da geografia, zoologia, botânica, astronomia, matemática e da medicina, fruto da necessidade sentida pelo homem renascentista de se conhecer a si próprio, de conhecer o mundo que o rodeava - naturalismo -, fruto do surgimento do espírito crítico, da necessidade sentida pelo homem de tudo explicar através da razão - racionalismo- e não através da religião, de Deus. De notar que o homem do Renascimento continua a ser religioso mas já sem colocar Deus no centro das suas preocupações pois no centro das suas preocupações está o próprio Homem.

Como sempre, podem consultar a minha apresentação em PowerPoint, já explorada em contexto de sala de aula, na minha página de recursos pedagógicos, com o nome J - O Renascimento.
E podem ver os vídeos por mim seleccionados a partir dos muitos existentes no Youtube sobre a temática Renascimento.






segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Feliz Natal

 
Cabo da Boa Esperança - África do Sul
Fotografia de Eugénio Queiroz
 
Feliz Natal

Desejo um Feliz Natal a todos quantos por aqui passarem.
Fiquem muito bem!
E deixo beijinhos muito especiais a todos os meus alunos... até um dia destes...